Encontramos o modelo supremo para o exercício do pastorado em João 10

 

Um dos grandes desafios da atualidade é ser pastor do rebanho de Cristo. Devido a tantos escândalos, este título tornou-se símbolo de gente “esperta” e “aproveitadora” perante o mundo. Mas graças a Deus que a Igreja reconhece os “verdadeiros” Pastores que olham para Cristo e seguem seu exemplo, exaltando o Senhor pelo modo de vida. Estes que são chamados para tão nobre missão não devem jamais tirar os olhos de Jesus, o Sumo Pastor. Em João 10 podemos perceber muitos princípios deste nosso Bom Pastor e somos desafiados a imitá-lo.

 

O Bom Pastor possui dignidade. Vs. 1, 2. Em verdade, em verdade vos digo: quem não entra pela porta no aprisco das ovelhas, mas sobe por outra parte, esse é ladrão e salteador. Mas o que entra pela porta é o pastor das ovelhas.” Entrar pela porta significa que não possui algo a esconder. Tem moral ilibada. Seu jeito, sua conduta denuncia que é um Pastor de verdade. Jesus foi tentado em tudo, mas sem pecado (Hb 4.15).

Hoje, mais do que nunca, nossas atitudes devem falar mais alto que as nossas palavras. Nossos sermões devem ser pregados com a vida.

 

O Bom Pastor possui intimidade com as ovelhas. Vs.3-4; 14.A este o porteiro abre; e as ovelhas ouvem a sua voz; e ele chama pelo nome as suas ovelhas, e as conduz para fora. Depois de conduzir para fora todas as que lhe pertencem, vai adiante delas, e as ovelhas o seguem, porque conhecem a sua voz; mas de modo algum seguirão o estranho, antes fugirão dele, porque não conhecem a voz dos estranhos. Eu sou o bom pastor; conheço as minhas ovelhas, e elas me conhecem.” Este Bom Pastor não fica distante das ovelhas. As Suas ovelhas não lhe provocam repulsa. Ele não é um aventureiro. As ovelhas já provaram do seu amor. Há uma profunda intimidade. Ele as chama pelo nome e elas reconhecem a sua voz. Isso é mutualidade e carinho também. Ele sabe para onde vai e as ovelhas sabem que atrás de seus passos há sempre o melhor. Jesus não delegou a sua missão. Deixou o céu e sentiu nossas misérias. Por isso é um amigo próximo e indispensável. Nossas dificuldades devem ser colocadas na sua presença. Ele sabe as nossas necessidades e prometeu ficar conosco em todas as situações (Mt 28.20).

Não dá para ser Pastor sem proximidade. Ministério Pastoral encontra seu ápice na área relacional. Mas antes das ovelhas, o Senhor das ovelhas.

 

O Bom Pastor protege as suas ovelhas. Vs. 12 e 13.Mas o que é mercenário, e não pastor, de quem não são as ovelhas, vendo vir o lobo, deixa as ovelhas e foge; e o lobo as arrebata e dispersa. Ora, o mercenário foge porque é mercenário, e não se importa com as ovelhas.” Este Pastor é corajoso, destemido. As ovelhas são preciosas aos seus olhos. Ele sente o cheiro dos predadores e morte no ar. Sabe que o lobo é sorrateiro, perspicaz, topo da cadeia alimentar e que, de preferência, ataca em bando e à noite. Então, corajosamente, enfrenta o lobo e o afugenta.

Pastor que vive como o Pastor dos Pastores não é covarde. Sabe que pecadinho vira pecadão. Sua motivação não é o dinheiro, mas o amor ao seu rebanho. É um filho da graça e do perdão de Deus e, não tendo como pagar tão grande salvação, decidiu dar a sua vida a ele. Não é um “contratado”, mas um “vocacionado”.

 

O Bom Pastor dá o seu melhor para as ovelhas. Vs. 9, 10.Eu sou a porta; se alguém entrar por mim, salvar-se-á, e entrará, e sairá, e achará pastagens. O ladrão não vem senão para roubar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância.” A única passagem para os pastos durante o dia e descanso seguro durante a noite é a porta. Então ele é a única possibilidade para uma vida bem alimentada e protegida espiritualmente. Jesus deseja que tenhamos o melhor, uma vida abundante.

Depois de uma profunda comunhão com Cristo, o coração de um Pastor volta-se para o seu rebanho. Sua Bíblia é folheada à procura dos textos mais apropriados para os sermões e os aconselhamentos. Assim, ele dá o melhor para os que estão sob o seus cuidados.

 

O Bom Pastor dá a vida pelas suas ovelhas. Vs. 11.Eu sou o bom pastor; o bom pastor dá a sua vida pelas ovelhas.” Três vezes neste capítulo aparece o adjetivo “Bom” ao lado da palavra “Pastor”. Isso sugere a essência motivacional das ações do Ministério de Jesus: A bondade. Mesmo as palavras duras aos líderes religiosos e o uso do chicote nos vendilhões do templo foram atitudes bondosas. Que benção este Bom Pastor! Dá direção, correção, alimentação, proteção, carinho e, além de tudo, a própria vida. Ele preferiu morrer para que as suas ovelhas vivessem, sofreu para que tivessem paz.

Hoje os Pastores dão a vida quando preferem deixar os sonhos materiais, aplicar-se à Bíblia e edificar famílias para a glória de Deus. Deixam-se gastar pelo Reino Eterno. Envelhecem contando e recontando a magnífica e sempre nova mensagem da cruz. Sabem que vida de verdade somente acontece vivendo, celebrando e proclamando o Autor da Vida, Jesus!

Pr. Elias Alves Ferreira é superintendente da Convenção Noroeste Paulista e integrante do Departamento Ministerial da Convenção Geral

Tags